terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Hidden Books in Vatican < Video Playlist | Embedr

no comments!




more about "Hidden Books in Vatican < Video Playl...", posted with vodpod

sábado, 28 de novembro de 2009

Vara apanhado com dados de processo em investigação

Vara apanhado com dados de processo em investigação
Armando Vara, um dos arguidos do caso "Face Oculta", foi apanhado nesta investigação com elementos de um processo que corre no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) e que, de acordo com fontes contactadas pelo DN, deveria estar em segredo de justiça. O episódio, que surpreendeu os investigadores de Aveiro, deu origem à certidão que foi enviada a 2 de Novembro para o departamento liderado pela procuradora-geral adjunta Cândida Almeida por suspeitas de violação do segredo de justiça.

(…) por CARLOS RODRIGUES LIMA | hoje | in Diário de Notícias

leia aqui:

Vara apanhado com dados de processo em investigação

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A cartoon history of the European Union

"Gentlemen, you're trying to negotiate something you will never be able to negotiate. If negotiated, it will not be ratified. And if ratified, it will not work." Thus spoke a British civil servant who was dispatched from London to Brussels to inform European ministers what Britain thought of plans for an ambitious new European treaty.” (…)

leia aqui:

http://www.independent.co.uk/news/world/europe/the-jokes-on-eu-a-cartoon-history-of-the-european-union-394698.html

Os boys de Guterres



O PROCESSO chamado ‘Face Oculta’ tem as suas raízes longínquas num fenómeno que podemos designar por ‘deslumbramento’.

Muitos dos envolvidos no caso, a começar por Armando Vara, são pessoas nascidas na Província que vieram para Lisboa, ascenderam a cargos políticos de relevo e se deslumbraram.

Deslumbraram-se, para começar, com o poder em si próprio.

Com o facto de mandarem, com os cargos que podiam distribuir pelos amigos, com a subserviência de muitos subordinados, com as mordomias, com os carros pretos de luxo, com os chauffeurs, com os salões, com os novos conhecimentos. (…)

(…) QUANDO o PS perdeu o poder, estes homens ficaram momentaneamente desocupados.

Mas, quando o recuperaram, quiseram ocupá-lo a sério. Montaram uma rede para tomar o Estado.

José Sócrates ficou no topo, como primeiro-ministro, Armando Vara tornou-se o homem forte do banco do Estado – a CGD –, com ligação directa ao primeiro-ministro, José Penedos tornou-se presidente da Rede Eléctrica Nacional, etc.

Ou seja, alguns secretários de Estado do tempo de Guterres, aqueles homens vindos da Província e deslumbrados com Lisboa, eram agora senhores do país. (…)

leia no Blog de JAS «Política a Sério»

aqui: http://sol.sapo.pt/blogs/jas/default.aspx

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Texturas 3 - Sequência fotográfica por «karaleenas»

Texturas 2

Texturas


Edge 306—November 24, 2009

THE THIRD CULTURE

Edge in Paris ...

SIGNATURES OF CONCSIOUSNESS
A Talk by Stanislas Dehaene
EdgeVideo

THE REALITY CLUB
On "Signatures of Consciousness: A Talk by Stanislas Dehaene"
Daniel Kahneman, Sam Harris, George Dyson

BEYOND EDGE
Pinker-Gladwell — Pinker-Wright

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

by Woodenship

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Edge 305—November 19, 2009

THE THIRD CULTURE
36 ARGUMENTS FOR THE EXISTENCE OF GOD
By Rebecca Newberger Goldstein


THE REALITY CLUB
On "THE AGE OF THE INFORMAVORE": A Talk with Frank Schirrmacher
David Gelernter, Evgeny Morozov

Reblog this post [with Zemanta]

UM ACHADO… Janis Joplin

MORREU O ENCENADOR MÁRIO BARRADAS

morreu-mario-barradas
Actualmente encenando «Troilus e Cressida» de William Shakespeare, numa co-produção entre a Companhia de Teatro de Almada, a Companhia de Teatro do Algarve e a Companhia de Teatro de Braga, Mário já não verá a sua estreia, programada para Abril de 2010.


Reblog this post [with Zemanta]

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A «SÁBADO» CONTA TUDO O QUE SABE...



«Director do 'Sol' denuncia chantagem»

Por: António José Vilela e Vítor Matos | 18 NOVEMBRO 2009

“Uma pessoa do círculo próximo do primeiro-ministro e que conhecia muito bem a situação do jornal e a nossa relação com o banco BCP disse-nos que os nossos problemas ficariam resolvidos se não publicássemos a segunda notícia do Freeport”, diz à SÁBADO o director do Sol, José António Saraiva – não revelando, porém, a identidade do autor da proposta. Ressalva, porém que não foi Armando Vara: “É evidente que Armando Vara era a pessoa que tinha o pelouro do Sol no BCP e que todos os assuntos relacionados com o Sol passavam directamente por ele, e isso nós sabíamos”, acrescenta José António Saraiva.

Quando o jornal Sol publicou a primeira notícia a revelar a existência de uma investigação britânica ao caso Freeport, em Janeiro de 2009, um dos directores do semanário recebeu um telefonema que podia livrar o jornal da falência. A jornalista Felícia Cabrita preparava nessa semana uma segunda manchete sobre o escândalo, que dava conta do célebre DVD inglês, onde Charles Smith acusava um ministro de receber luvas. O nome do ministro era José Sócrates, saber-se-ia mais tarde. O telefonema pretendia travar a notícia. (...)

leia aqui:
Director do Sol denuncia chantagem
(e leia o resto quinta-feira na revista SÁBADO)
Reblog this post [with Zemanta]

terça-feira, 17 de novembro de 2009

OBAMA FALHOU AS SUAS PROMESSAS QUANTO ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS

http://www.spiegel.de/static/sys/v9/spiegelonline_logo.png

Obama Has Failed the World on Climate Change

By Christian Schwägerl

Greenpeace activists in Hong Kong urge Obama to take a stand on climate change.

US President Barack Obama came to office promising hope and change. But on climate change, he has followed in the footsteps of his predecessor, George W. Bush. Now, should the climate summit in Copenhagen fail, the blame will lie squarely with Obama. (...)

read more:
Obama Has Failed the World on Climate Change
Reblog this post [with Zemanta]

Brian Eno & Harold Budd - The Plateaux of Mirror: An arc of doves

domingo, 15 de novembro de 2009

A ALDEIA DA ROUPA PORCA

PCP exige explicações de Sócrates e BE nota que o PM admitiu conhecer o negócio TVI/PT. Vieira da Silva acusa "forças" de fazerem "espionagem política".

"isto está a passar todas as marcas"

Sócrates brandiu a distinção entre conhecimento oficial e oficioso... Uma coisa é naturalmente discutirmos com amigos... Importa que esclareça de uma vez por todas o que sabia sobre os negócios...

PGR confirma crime mas não apoia escutas

Moura Guedes quer "evitar destruição das escutas"

PGR confirma que Supremo anulou escutas a Sócrates

...BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA BLA...
Reblog this post [with Zemanta]

sábado, 14 de novembro de 2009

Edge 304—November 13, 2009



THE THIRD CULTURE
WHY DOES THE UNIVERSE LOOK THE WAY IT DOES?
A Conversation with Sean Carroll
EDGE Video
THE REALITY CLUB
BOING BOING
The Age of the Informavore

By David Pescovitz
Reblog this post [with Zemanta]

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

QUATRO MESES !!!

As certidões extraídas do processo, relativas a escutas telefónicas que apanharam Vara a falar com Sócrates, estão há quatro meses nas mãos do procurador-geral da República.

(...) se para uns os quatro meses que o PGR já leva com as certidões entre mãos começam a ser um "tempo suspeito", outros, porém, consideram que isso apenas confirma a "ineficácia, a inépcia, e a desorganização" do serviços da Procuradoria-geral da República (PGR), defenderam, em declarações ao DN, vários operadores judiciários. (...)
"O PGR pode destruir as certidões, mas não as intercepções telefónicas." Esta é desde logo a certeza de um jurista ouvido pelo DN, e que pediu o anonimato, salientando que "as escutas que não tiverem interesse para a investigação devem ser destruídas". Mas, "é o juiz de instrução que ordena essa destruição", acrescentou, frisando que isto mesmo consta do artigo 188.º do CPP.
"É tempo a mais, é tempo suspeito, é obvio. O tempo das coisas às vezes é tão mais importante quanto as próprias coisas, sendo certo que a memória dessas mesmas coisas é muito rápida, e basta uma notícia choque para as fazer esmorecer." (...)
leia aqui:

Só juiz pode destruir escutas que envolvem Vara e Sócrates

in Diário de Notícias | 01/11/2009


Reblog this post [with Zemanta]

domingo, 8 de novembro de 2009

O «MAL-ME-QUER / BEM-ME-QUER» DA JUSTIÇA PORTUGUESA

(in Correio da Manhã) | 08 Novembro 2009 - 00h30

Pinto Monteiro tem nas suas mãos o poder de mandar destruir as escutas telefónicas que envolvem José Sócrates e Armando Vara. Basta que entenda que não há suspeitas de ilícitos criminais e que proceda ao arquivamento das certidões

Polémica: Conversas interceptadas são politicamente explosivas

Escutas de Sócrates em risco de ser apagadas

As dezenas de transcrições de conversas entre Armando Vara e José Sócrates interceptadas durante a ‘Operação Face Oculta’, validadas por um juiz e enviadas para a Procuradoria-Geral da República em forma de certidão, correm o risco de ser destruídas. Basta que Pinto Monteiro, a quem as mesmas foram entregues há quatro meses, considere que as situações em análise não configuram ilícitos criminais, o que permite assim proceder à destruição das mesmas. (...)
Reblog this post [with Zemanta]

O PAÍS À BEIRA DA RUPTURA

Ontem à noite a SIC Notícias teve a honra de receber - no novíssimo programa de Mário Crespo, Plano Inclinado -, além de outros ilustres convidados, Medina Carreira.
Este grande senhor, Economista, Jurista, ex-Ministro das Finanças, é uma das poucas cabeças ainda lúcidas neste país sublunar. Apelidado à socapa pelos seus detractores de "pessimista", tem um Curriculum, tanto académico como de escritor e consultor, capaz de fazer corar grande parte dos diplomas 'sorteados' na loteria de Universidades independentes.
Sinceramente, para quem não viu o programa, a conversa entre estes cavalheiros foi absolutamente "assustadora". Medina Carreira, e restantes convidados, fizeram questão de enfatizar que, com a qualidade actual dos nossos políticos e a teimosia na persecução destas políticas de endividamento, aquilo que poderemos esperar a curto prazo é... a falência do país ou a nossa expulsão, pura e simples, da UE.
Para enaltecer a importância dramática da actual dívida ao estrangeiro, Mário Crespo, no final do programa, voltou-se para Medina Carreira e perguntou: «Passaram cerca de 55 minutos do nosso programa, doutor Medina Carreira, parece-me que a dívida aumentou mais 500 mil contos...» É que a actual dívida portuguesa é - mais coisa menos coisa - de 64 milhões de Euros por dia (12.800.000 contos)! A Divida Externa supera já os 80% do Produto Interno Bruto (PIB).
Reblog this post [with Zemanta]

sábado, 7 de novembro de 2009

«FACE OCULTA»:MAIS UMA “NOVELA” DE INCONTÁVEIS EPISÓDIOS PARA AS “CALENDAS” GREGAS

http://1.bp.blogspot.com/_DP-qmrwEvGI/SYc8Kck2a2I/AAAAAAAAEVA/8azXZgF-Jiw/s320/228805.jpg

As transcrições de conversas entre Vara - vice-presidente do BCP, agora com mandato suspenso e arguido neste caso - e o primeiro-ministro “constam, efectivamente, de uma das certidões recebidas” na Procuradoria-Geral da República (PGR), disse Pinto Monteiro ao semanário “Expresso”. (…)

ler aqui:

Pinto Monteiro garante que conversa de Vara e Sócrates está a ser avaliada

(in 07.11.2009 - 08:44 Por PÚBLICO)

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

É FARTAR VILANAGEM... Ambientadores que põem a malta a rir!

Canábis continua a ser a droga mais consumida na Europa
Muito adequados para Lares de Terceira Idade, Centros de Dia, Escolas de Artesanato e Universidade Senior.
in «Ionline» | 06NOV2009
leia aqui:
Incenso vendido no país com efeitos iguais ao da cannabis
Reblog this post [with Zemanta]

Edge 303—November 5, 2009


THE REALITY CLUB

On "THE AGE OF THE INFORMAVORE": A Talk with Frank Schirrmacher

Jaron Lanier, Nick Bilton, Nick Carr, Douglas Rushkoff, Jesse Dylan, Virginia Heffernan, Gerd Gigerenzer, John Perry Barlow, Steven Pinker, John Bargh

«I tend to worry less about information overload at the personal, individual level and more about it at the societal and governmental level. The human brain is long used to being overloaded with sensory information, throwing most input away in the first half-second after sensing it; we are constantly bombarded by 'primes' or implicit suggestions as to what to think, feel, and do — yet we manage usually to stably do one thing at a time. The brain is used to dealing with conflicting messages too, and managing and integrating the activity of so many physiological and nervous subsystems — but as the work of Ezequiel Morsella is showing, keeping all of that management out of conscious view so we never experience it.» (...)

THIRD CULTURE NEWS
TERCERA CULTURA — CHILE
Un podcast divulgacion de la Cience Cognitiva Contemporanea

BEYOND EDGE
Jerry Adler, Alison Gopnik, Stewart Brand, Jerry Coyne, Scott Atran



Reblog this post [with Zemanta]

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A ordem é: «Silêncio Absoluto!»

Vara quis demitir-se quinta-feira do BCP

Atenção máxima: Governo tenta contornar caso Vara

por DAVID DINIS (in DN – 05/11/2009)

Desde o fim-de-semana que a ordem dentro do Governo é para redobrar a atenção e as cautelas sobre as implicações do caso "Face Oculta". As notícias do envolvimento de vários militantes do PS na investigação, alguns deles com posições destacadas em empresas públicas, forçou o núcleo duro do Governo a preparar uma resposta, de forma a distanciar-se da polémica. O primeiro passo foi dado logo na noite de sexta-feira, com José Sócrates a vincar o princípio da separação de poderes ("Não comento processos judiciais"). Mas entre os mais próximos do primeiro-ministro, desde cedo se reconheceu a necessidade de dar outros sinais públicos que demonstrassem a isenção do Governo.

Foi assim que, logo na segunda-feira se preparou terreno para a resposta. As duas maiores preocupações são os casos de José Penedos, presidente da REN (empresa maioritariamente pública) e de José Chocolate Contradanças, da Empordef (do sector da Defesa, ex-deputado do PS). No último caso, confirmou o DN, foi rapidamente ordenada uma auditoria interna, de forma a averiguar até que ponto houve envolvimento do administrador no caso. A estratégia - de pedir investigações internas - foi seguida na REN (na versão "auditoria externa", dado ser uma empresa cotada), e em todos os outros casos de empresas públicas apanhadas na rede. Caso da Brisa, onde Almerindo Marques já veio também a público explicar a averiguação.

Agora, a questão é de tempo. Argumentando com a mesma separação de poderes, o Governo evita a demissão dos responsáveis. Mas dá já sinais públicos de incómodo, sinalizando a saída aos envolvidos. Vieira da Silva disse ontem esperar "por mais informação"; Costa Pina, secretário de Estado, optou pela fórmula "o Governo acompanha a situação".

Quanto a Armando Vara, a ordem é de silêncio absoluto. Francisco Assis mostrou-o quando reagiu à suspensão do seu mandato no BCP: "O PS não tem a ver com isso, razão pela qual não tem que estar mais nem menos confortado. É uma decisão de natureza pessoal, que respeito e sobre a qual não quero fazer nenhum comentário".

terça-feira, 3 de novembro de 2009

MORREU CLAUDE LÉVI-STRAUSS

Claude Lévi-Strauss faleceu Sábado passado com 100 anos.
Um dos maiores intelectuais do séc. XX, estudou Direito e Filosofia na Sorbonne, em Paris, e foi um dos mais profícuos Antropólogos de todos os tempos, lançando as bases da corrente estruturalista das Ciências Sociais, que influenciou gerações de investigadores.
Deixou-nos inúmeras obras mas, uma das mais proeminentes foi, com certeza, «TristesTrópicos» que Georges Bataille classificaria "é uma obra-prima que marcará uma data, não apenas na história da Etnologia mas também na história do pensamento humano. É um livro humano, um grande livro; pouca obras despertam problemas tão vastos e tão fundamentais".
Este 'calhamaço' de mais de 400 páginas -- para os interessados ou coleccionadores -- foi publicado em Fevereiro de 79 em Portugal, pelas Edições70, e a edição foi feita com todas as fotografias e desenhos do autor.
Infelizmente, só vi referência à sua vida e morte no Expresso, que lhe dedica "literalmente" meia-dúzia de linhas sob o título Óbito/Antropologia!

domingo, 1 de novembro de 2009

sábado, 31 de outubro de 2009

Morgana Palace - Andreas Vollenweider

MÚSICA DE Andreas Vollenweider BASTANTE APROPRIADA PARA A «NOITE DE HALLOWEEN»... O Palácio de Morgana!

Artigo interessante publicado hoje na NEWSWEEK com a assinatura de Jacob Weisberg

Gay Marriage & Marijuana

You can't stop either. Why that's good.

By Jacob Weisberg | NEWSWEEK
Published Oct 31, 2009

"I think this would be a good time for a beer," Franklin D. Roosevelt said upon signing a bill that made 3.2 percent lager legal, ahead of the full repeal of Prohibition. I hope Barack Obama will come up with some comparably witty remarks as he presides over the dismantling of our contemporary forms of prohibition—laws that prevent gay marriage, restrict cannabis as a Schedule I controlled substance, and ban travel to Cuba. "You may now kiss the groom," perhaps, or a version of the comment he once made about smoking pot: "I inhaled—that was the point." (Click here to follow Jacob Weisberg)

Prohibition now is different from Prohibition then. When the 18th Amendment went into effect in 1920, it was a radical social experiment challenging a custom as old as civilization. A predictable failure—the insult to individual rights, the impossibility of enforcement, the spawning of organized crime—it came to an end in 1933. Today it is a byword for futile attempts to legislate morality and remake human nature.

Our forms of prohibition are more sins of omission than commission. Rather than trying to take away longstanding rights, they're instances of conservative laws failing to keep pace with a liberalizing society. But like Prohibition in the '20s, these restrictions have become indefensible as well as impractical, and as a result are fading fast. Within 10 years, it seems a reasonable guess that Americans will travel freely to Cuba, that all states will recognize gay unions, and that few will retain criminal penalties for marijuana use by individuals. These reforms are inevitable—not because politics has changed, but because society has.

A few reference points: in April, Obama lifted restrictions on travel and remittances by Cuban-Americans. Last month the Justice Department announced that it would no longer prosecute cases involving medical marijuana. Same-sex marriages are recognized in six states and counting. In a larger frame, loosening restrictions and lax enforcement reflect evolving social norms. Gay unions have been celebrated on the New York Times weddings page since 2002. Since George W. Bush left office, American tourists no longer worry about being prosecuted for visiting Havana without a Treasury license. In L.A., you need only tell an on-site doctor at a walk-in pot emporium that you feel anxious to walk out with a legal bag of Captain Kush.

The chief reason these prohibitions are falling away is the evolving definition of the pursuit of happiness. What's driving the legalization of gay marriage is not so much the moral argument, but the pressures from couples who want to sanctify their relationships, obtain legal benefits, and raise children in a stable environment. What's advancing the decriminalization of marijuana is not just the demand for pot as medicine but the number of adults—more than 23 million in the past year, according to the most recent government survey—who use it and don't believe they should face legal jeopardy. What's bringing the change on Cuba is not the epic failure of the 49-year-old U.S. embargo, but the demand on the part of Americans who want to go there—whether to visit relatives, prospect for post-Castro business opportunities, or sip rum drinks on the beach.

For similar reasons, there isn't likely to be any retreat on the right to have an abortion or own a gun. Popular demand for an individual right is simply too powerful to overcome. The Internet has been a crucial amplifier of all such claims. With pornography and gambling, the Web itself became an irrepressible distribution tool. When it comes to gay marriage, it has accelerated the recognition of a new civil right by serving as an organizing tool and information clearinghouse. More broadly, the freest communications medium the world has ever known has raised expectations of personal liberty. In a world where everyone has his own printing press, restrictions on personal behavior become increasingly untenable.

Politicians will continue to lag, rather than lead, these changes. Republicans face a risk in resisting the new realities. If the GOP remains the party of prohibition, it will increasingly alienate libertarian leaners and the young. Democrats face a different danger in embracing cultural transformations too eagerly. Nearly four decades after George McGovern became known as the candidate of amnesty, abortion, and acid, cultural issues are still treacherous territory for them. Why get in front of change when you can follow from a safe distance and end up with the same result?

Jacob Weisberg is also the author of The Bush Tragedy and In an Uncertain World: Tough Choices from Wall Street to Washington .

Fernão Capelo Gaivota [Be, by Neil Diamond]

«Be Careful» by Healzo publicada em «deviantART»

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

«FACE OCULTA» Maior esquema de corrupção envolvendo empresas com participação do Estado deverá ainda fazer mais arguidos


José Penedos

Vara e Penedos são os primeiros. Vêm aí

mais arguidos, diz PJ

Os indícios colhidos não excluem que venham a ser
implicadas mais pessoas no alegado esquema de favorecimento das
empresas do grupo O2, do empresário Manuel Godinho. Armando Vara
e José Penedos, dois antigos governantes da equipa de Guterres,
foram envolvidos num processo cujas ramificações
estão a ser investigadas há um ano. (...)
O empresário Manuel Godinho, detido preventivamente e que
amanhã será ouvido por um juiz, é acusado de ter
criado contactos em cerca de dez empresas, graças aos quais
conhecia antecipadamente pormenores de concursos públicos. (...)
leia aqui:
Vara e Penedos são os primeiros. Vêm aí mais arguidos, diz PJ
in Jornal i online

«Operação Face Oculta»

Armando Vara vai ser ouvido no Tribunal de Aveiro a 9 de Novembro

leia aqui:
Armando Vara: o polémico banqueiro acidental
in Público | 30de Outubro de 2009

http://mediaserver.rr.pt/newrr/corrupcao-mao1416de65_400x225.jpg
(...) É próximo de Sócrates, mas também de Jorge
Coelho, Edite Estrela, Laurentino Dias. Notícias não
negadas têm-no dado como estando ligado à maçonaria
do Grande Oriente Lusitano. (...)
O curriculum académico é feito no princípio da
década, com a licenciatura em 2005 em Relações
Internacionais na Universidade Independente, a mesma onde
Sócrates se diplomou. (...)
Em 2005 o PS de José Sócrates ganha as legislativas. Tem
51 anos, quando é nomeado administrador da CGD. Vara toma posse
no meio de grande controvérsia: um Job para um boy? (...)
A transição da CGD para o BCP deixa rasto, quando se
apura terem sido dados créditos em larga escala a accionistas do
BCP, para que estes entrassem na disputa pelo controlo do banco. Em
troca, a CGD recebeu acções cotadas. (...)

domingo, 25 de outubro de 2009

AQUECIMENTO GLOBAL OU CICLOS PLANETÁRIOS - Os cientistas não se entendem!

What happened to global warming?

By Paul Hudson
Climate correspondent, BBC News

This headline may come as a bit of a surprise, so too might that fact that the warmest year recorded globally was not in 2008 or 2007, but in 1998.

But it is true. For the last 11 years we have not observed any increase in global temperatures.

And our climate models did not forecast it, even though man-made carbon dioxide, the gas thought to be responsible for warming our planet, has continued to rise.

So what on Earth is going on?

Climate change sceptics, who passionately and consistently argue that man's influence on our climate is overstated, say they saw it coming.

They argue that there are natural cycles, over which we have no control, that dictate how warm the planet is. But what is the evidence for this?

During the last few decades of the 20th Century, our planet did warm quickly.

The Sun (BBC)
Recent research has ruled out solar influences on temperature increases

Sceptics argue that the warming we observed was down to the energy from the Sun increasing. After all 98% of the Earth's warmth comes from the Sun.

But research conducted two years ago, and published by the Royal Society, seemed to rule out solar influences.

The scientists' main approach was simple: to look at solar output and cosmic ray intensity over the last 30-40 years, and compare those trends with the graph for global average surface temperature.

And the results were clear. "Warming in the last 20 to 40 years can't have been caused by solar activity," said Dr Piers Forster from Leeds University, a leading contributor to this year's Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC).

But one solar scientist Piers Corbyn from Weatheraction, a company specialising in long range weather forecasting, disagrees.

He claims that solar charged particles impact us far more than is currently accepted, so much so he says that they are almost entirely responsible for what happens to global temperatures.

He is so excited by what he has discovered that he plans to tell the international scientific community at a conference in London at the end of the month.

If proved correct, this could revolutionise the whole subject.

Ocean cycles

What is really interesting at the moment is what is happening to our oceans. They are the Earth's great heat stores.

Pacific ocean (BBC)
In the last few years [the Pacific Ocean] has been losing its warmth and has recently started to cool down

According to research conducted by Professor Don Easterbrook from Western Washington University last November, the oceans and global temperatures are correlated.

The oceans, he says, have a cycle in which they warm and cool cyclically. The most important one is the Pacific decadal oscillation (PDO).

For much of the 1980s and 1990s, it was in a positive cycle, that means warmer than average. And observations have revealed that global temperatures were warm too.

But in the last few years it has been losing its warmth and has recently started to cool down.

These cycles in the past have lasted for nearly 30 years.

So could global temperatures follow? The global cooling from 1945 to 1977 coincided with one of these cold Pacific cycles.

Professor Easterbrook says: "The PDO cool mode has replaced the warm mode in the Pacific Ocean, virtually assuring us of about 30 years of global cooling."

So what does it all mean? Climate change sceptics argue that this is evidence that they have been right all along.

They say there are so many other natural causes for warming and cooling, that even if man is warming the planet, it is a small part compared with nature.

But those scientists who are equally passionate about man's influence on global warming argue that their science is solid.

The UK Met Office's Hadley Centre, responsible for future climate predictions, says it incorporates solar variation and ocean cycles into its climate models, and that they are nothing new.

In fact, the centre says they are just two of the whole host of known factors that influence global temperatures - all of which are accounted for by its models.

In addition, say Met Office scientists, temperatures have never increased in a straight line, and there will always be periods of slower warming, or even temporary cooling.

What is crucial, they say, is the long-term trend in global temperatures. And that, according to the Met office data, is clearly up.

To confuse the issue even further, last month Mojib Latif, a member of the IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change) says that we may indeed be in a period of cooling worldwide temperatures that could last another 10-20 years.

Iceberg melting (BBC)
The UK Met Office says that warming is set to resume

Professor Latif is based at the Leibniz Institute of Marine Sciences at Kiel University in Germany and is one of the world's top climate modellers.

But he makes it clear that he has not become a sceptic; he believes that this cooling will be temporary, before the overwhelming force of man-made global warming reasserts itself.

So what can we expect in the next few years?

Both sides have very different forecasts. The Met Office says that warming is set to resume quickly and strongly.

It predicts that from 2010 to 2015 at least half the years will be hotter than the current hottest year on record (1998).

Sceptics disagree. They insist it is unlikely that temperatures will reach the dizzy heights of 1998 until 2030 at the earliest. It is possible, they say, that because of ocean and solar cycles a period of global cooling is more likely.

One thing is for sure. It seems the debate about what is causing global warming is far from over. Indeed some would say it is hotting up.

Update - 1300, Tuesday 13 October 2009: Paul Hudson has written a blog entry about his article here: Paul Hudson's blog
Reblog this post [with Zemanta]